3Gkgd93XuLY

 

Tutorial passo a passo ensinando a calcular tempo de contribuição utilizando uma planilha gratuita de simulação de excelente qualidade.

 

Leia também

 

Inscreva-se na palestra

 

Palestra online e gratuita Como dominar cálculos previdenciários e faturar até 2 vezes maisClique aqui e inscreva-se.

 

Transcrição

 

“Olá, colegas, saudações! Meu nome é Alessandra Strazzi, eu sou advogada especialista em Direito Previdenciário e autora desse blog que você tá vendo aqui na tela, o “Desmistificando o Direito”, no qual eu dou dicas de direito previdenciário. Também de outras áreas do Direito, mas principalmente, direito previdenciário, que é a área que eu amo. Semana passada eu escrevi esse artigo aqui: “Tempo de contribuição ou tempo de serviço: explicação descomplicada” e eu perguntei pros colegas se gostariam que eu fizesse um tutorial de como calcular o tempo de contribuição com uma planilha gratuita que eu uso que é excelente. Bastante gente disse que queria. Então, já que o pedido de vocês é uma ordem, tô aqui gravando esse tutorial. Primeiro passo, é você entrar no blog “tempodeservico.blogspot.com”. Você vai cair nesse bloguizinho aqui super simples. Mas não se engane pela carinha dele. A planilha dele é muito boa. Ela foi elaborada pelo pessoal da Justiça Federal, conforme vocês podem ver aqui o nome dos criadores da planilha. Então, é de bastante confiança. Eu uso há muito tempo essa planilha. Na verdade, eu aprendi a utilizá-la quando eu fazia estágio no Juizado Especial Federal. Eu estagiei no Juizado Especial Federal de Franca e foi quando eu aprendi a utilizar essa planilha que eu recomendo bastante. Se você ainda tem um pouquinho de dificuldade com cálculos previdenciários, não se preocupa. Utilizar essa planilha é muito facinho, você vai aprender calcular o tempo de contribuição rapidinho. Porém, além disso, para cálculos de maior grau de dificuldade, eu recomendo que você assista a minha palestra online. Ela é gratuita e lá nela eu explico como dominar cálculos previdenciários, como superar os traumas e medos e eu demonstro como, dominando os cálculos, você consegue faturar muito mais com o seu escritório de advocacia. É uma palestra bem interativa, bem dinâmica e vou deixar o link aqui nos cards. Então vamos lá ao tutorial passo a passo de como calcular o tempo de contribuição. Primeira passo eu já falei, entra no blog tempo de serviço.blogspot.com.br. Segundo passo, você vai clicar aqui “Clique aqui” na versão mais recente da planilha. Eu não recomendo já salvar a planilha direto nos seus favoritos porque eles estão sempre lançando novas versões. E, para saber se lançou versão nova, só vindo aqui no blog mesmo. Então clique aqui. Você vai ser redirecionado pra planilha de cálculo de tempo de contribuição ou de serviço. Essa planilha, ela foi desenvolvida no Google Sheets, que é o “Excel” do Google. Então você não precisa se preocupar, você não vai precisar instalar nada, ele é um programa que ele roda na Web. Você só vai ter que fazer o seu login com a sua conta Google. Como eu vou fazer agora. Clique em “fazer login”. Ah, sim! Tem um passo muito importante que eu esqueci de mencionar, tava só explicando o tutorial, né? Mas antes de você começar a calcular tempo de serviço, é muito importante que você tenha em mãos os documentos do seu cliente, principalmente a Carteira de Trabalho e o CNIS, o Cadastro Nacional de Informações Sociais. Porque lá você vai saber os vínculos de trabalho, os recolhimentos, que essa pessoa teve ao longo da vida. Então é muito importante ter essa documentação. E também fazer uma entrevista com seu cliente e verificar se aquela informação que tá nos documentos tá correta. Porque, algumas vezes, aliás, bastante vezes, acontece de estar incompletas as informações. Às vezes não tem uma anotação na CTPS ou o CNIS tá incompleto e você vai precisar de ir atrás de resolver isso. Mas, partindo do princípio que tá tudo OK, vamos partir para calcular o tempo de contribuição. A planilha, do jeito que ela está aqui, você não consegue usar. Por quê? Porque é uma planilha compartilhada. A função de edição dela está desabilitada porque, se todo mundo fosse editar este arquivo, em pouco tempo ninguém mais conseguiria utilizar, concorda? Então, primeiro passo é você fazer uma cópia para os seus arquivos. Então você vem em “Arquivo”, “Fazer uma Cópia”. Ele abre essa janela, você coloca o nome que você quer dar para essa planilha. Eu sempre uso o nome do cliente. Eu vou colocar aqui uma cliente fictícia, “Maria da Silva”. E, tá vendo? Ele até abre uma nova aba para você trabalhar. Esse arquivo aqui ele é seu, você pode fazer o que você quiser. Então você desce aqui, nesse quadradinho, desce nesse quadradinho onde a gente tem alguns campos obrigatórios de preenchimento. O campo de autor não é obrigatório, mas eu gosto de preencher com o nome do cliente, né? Data de nascimento, sexo, calcula até a DER. DER é Data de Entrada do Requerimento, que é a data que você faz o requerimento ao INSS do benefício. No caso, eu não tenho esse requerimento ainda, não foi feito o requerimento. Não tem problema, você utiliza a data do cálculo. Então você pode usar a data que for mais conveniente. Ou a data do cálculo, se ainda não tem o requerimento ou a data do requerimento administrativo. A reafirmação da DER é um campo opcional, não vou utilizar aqui. Você usa se você estiver reafirmando a DER. Vou deixar aqui nos cards um link para um artigo que eu escrevi sobre esse assunto para você se inteirar. Aqui você passa para anotar as datas inicial e final de cada vínculo, de cada atividade do seu cliente. Vou preencher aqui com a minha cliente fictícia. Nas anotações, eu costumo colocar a atividade da pessoa, o cargo dela para visualização, não é obrigatório você escrever nada aqui. Eu só gosto de escrever para ficar mais organizado. Ok, eu já terminei de escrever todos os vínculos. Esse aqui é um exemplo bem fictício mesmo, né? Porque eu quero ver você achar um cliente que tenha só três vínculos na carteira. Já peguei cliente com mais de vinte. Mas enfim… Aqui é só um exemplo para visualização. Desce aqui. Aqui nessa caixa, nós temos 3 marcos temporais importantes no direito previdenciário, que é a Emenda Constitucional 20 de 98, a Lei 9.8176 de 99 e a DER, Data de Entrada do Requerimento. Eu vou me basear na DER, né? Porque eu quero saber o tempo de contribuição total. Então ele calcula o tempo de contribuição, a carência e a idade da pessoa em cada um desses marcos temporais. Além disso, ela também calcula os pontos. Sabe, aquela somatória 85/95? Que foi bastante falada no ano de 2016? Então, ela calcula essa pontuação. Vou deixar aqui nos cards também um artigo que eu escrevi sobre este assunto. Aqui também ele fala do pedágio. O pedágio tem a ver com a aposentadoria por tempo de contribuição proporcional. Também não vou tratar aqui nesse vídeo. Mas também tem artigo lá no blog, não deixa de conferir. Aqui embaixo, no último item, eu tenho 3 parágrafos, observe. Cada um desses parágrafos é equivalente a um desses marcos temporais aqui em cima. E a planilha já, automaticamente, faz a análise se essa pessoa, esse cliente, teria direito a um tipo de aposentadoria por tempo de contribuição. Você pode ler aqui, que ele já deixa até um dispositivo de sentença pronto aqui. Se você for juiz, já consegue utilizar isso aqui copiando e colando. Nesse caso do nosso exemplo, ela não tem direito a aposentadoria por tempo de contribuição. Essa planilha, ela só faz análise de aposentadoria por tempo de contribuição. Ela não faz análise de outros tipos de aposentadoria, como aposentadoria por idade ou especial, por exemplo. Apesar de que, retornando aqui em cima, uma coisa que eu esqueci de falar, você consegue mudar esse fator aqui de um para um multiplicador, por exemplo, 1.4, no caso seria 1.2 porque é mulher. Se ela tivesse uma atividade insalubre, tá? Então aí ela modifica a carência, o tempo de contribuição. No caso, não é o caso do nosso exemplo, ela não tem nenhuma atividade insalubre, então o fator é um. Tá vendo? Então ela já muda automaticamente, já faz a multiplicação. É muito prático. Isso vai refletir no final, tá? Eu espero que vocês tenham gostado do vídeo, que vocês tenham entendido o tutorial. E eu quero que você me digam aqui nos comentários se vocês gostaram da planilha e se ela é ou não é muito melhor do que o simulador do INSS. Eu odeio aquele simulador do INSS, ela é muito chato de usar. Essa aqui é muito mais fácil, muito mais completa e muito mais bonitinha. Ahhh! Já tava me esquecendo! Você pode salvar a planilha no seu computador também, para você poder imprimir depois. Você pode vir aqui em “arquivo”, “fazer download como” e você escolhe o formato que você quer. Por exemplo, eu quero salvar em PDF. Escolhe aqui como você quer e clica. Ele vai fazer o download para a sua pasta de download, você pode abrir. Tá no seu computador já. Bem bonitinho. É isso aí pessoal, não deixem de se inscrever no canal, dá um joinha aqui, curte o vídeo. Vejo vocês na próxima!”

Comentários