Cartão de visita digital para advogado é permitido pela OAB?

Aprenda o que é um cartão de visita digital, quais informações a OAB permite constar e como você mesmo pode produzir e compartilhar com os clientes.
Total
25
Shares
cartao_de_visita_digital_advogado

1) Introdução

Parece que quando nos graduamos e somos aprovados no Exame de Ordem, as pessoas esperam três coisas de nós advogados: um diploma, uma carteira da OAB e um cartão de visitas! 😂

Brincadeiras à parte, o cartão de visitas é sim algo importante para construir o nosso networking, divulgar nossos serviços e facilitar a comunicação com nossos atuais e/ou potenciais clientes. 

Contudo, assim como a maioria das coisas do mundo jurídico, o tradicional cartão de visitas também passou por um processo de digitalização. Afinal, se hoje até processos e protocolos são digitais, por que o cartão de visitas não poderia ser? 

Pensando nisso, resolvi dedicar um artigo só para falar sobre cartão de visita digital de advogado e convencer você (caso ainda não esteja convencido) a também passar a utilizá-lo!

E se um cartão digital serve para te apresentar aos clientes, eu quero deixar uma dica que pode te aproximar de mais de 50% das pessoas que precisam de um Advogado Previdenciário. Trata-se da Palestra GRATUITA e 100% ONLINE “Como Advogar com auxílio-doença sem medo e alcançar 50% do mercado previdenciário” do Dr. Bruno Carneiro e do Dr. Anderson De Tomasi Ribeiro. Para participar basta clicar no link e fazer sua inscrição.

palestra DPF 10 - Cartão de visita digital para advogado é permitido pela OAB?

2) Cartão de visita para advogado: normas éticas da OAB

Conforme expliquei lá no artigo sobre advogado poder fazer propaganda no Facebook ou Instagram, existem algumas normas éticas impostas pela OAB e que precisam ser respeitadas pelos advogados mesmo no ambiente digital.

A principal norma que rege a publicidade profissional do advogado está prevista no art. 39 do Código de Ética e Disciplina da OAB: 

“A publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão”.

Em se tratando especificamente de cartão de visita de advogado, o art. 3º, alínea “a”, do Provimento n. 94/2000, dispõe que é permitido o uso de cartões de visita e de apresentação do escritório, contendo, exclusivamente, informações objetivas. 

Já o art. 44 do Código de Ética e Disciplina aborda o que é permitido constar (conforme explicarei no próximo tópico).

Portanto, o advogado pode fazer uso do cartão de visitas digital para fins de publicidade dos seus serviços.

Porém, seu conteúdo deve conter apenas informações objetivas relativas aos advogados ou à sociedade de advogados, sempre com discrição e moderação, com finalidade informativa e ilustrativa, sem qualquer viés mercantil ou de autopromoção.

Na dúvida, não deixe de consultar o Estatuto da Advocacia e da OAB (art. 31 e seguintes), Provimento n. 94/2000 do Conselho Federal da OAB (inteiro) e o Código de Ética e Disciplina da OAB (art. 5º; art. 39 e seguintes).

2.1) O que é e não é permitido em um cartão de visita para advogado

O art. 44 do Código de Ética e Disciplina prevê o que pode constar no cartão de visita do advogado. Essa norma é aplicada tanto para o cartão de visita físico, quanto para o virtual. 

Como gosto de facilitar a vida dos nossos leitores, vou elencar em tópicos o que é permitido constar no cartão de visita digital: 

  • Nome do advogado ou da sociedade de advogados;
  • Número ou números de inscrição na OAB;
  • Títulos acadêmicos do advogado e as distinções honoríficas relacionadas à vida profissional (é vedada a menção a qualquer emprego, cargo ou função ocupado, atual ou pretérito, em qualquer órgão ou instituição, salvo o de professor universitário);
  • Instituições jurídicas das quais o advogado faça parte;
  • Especialidades em que atua;
  • Endereço;
  • E-mail;
  • Site;
  • Página eletrônica;
  • QR code;
  • Logotipo;
  • Fotografia do escritório (apenas do escritório, pois é vedada a inclusão de fotografias pessoais ou de terceiros);
  • Horário de atendimento;
  • Idiomas em que o cliente poderá ser atendido.

Do mesmo modo, o art. 4º do Provimento n. 94/2000 traz o que não é permitido fazer na publicidade advocatícia:

“a. menção a clientes ou a assuntos profissionais e a demandas sob seu patrocínio;

b. referência, direta ou indireta, a qualquer cargo, função pública ou relação de emprego e patrocínio que tenha exercido;

c. emprego de orações ou expressões persuasivas, de auto-engrandecimento ou de comparação;

d. divulgação de valores dos serviços, sua gratuidade ou forma de pagamento;

e. oferta de serviços em relação a casos concretos e qualquer convocação para postulação de interesses nas vias judiciais ou administrativas;

f. veiculação do exercício da advocacia em conjunto com outra atividade;

g. informações sobre as dimensões, qualidades ou estrutura do escritório;

h. informações errôneas ou enganosas;

i. promessa de resultados ou indução do resultado com dispensa de pagamento de honorários;

j. menção a título acadêmico não reconhecido;

k. emprego de fotografias e ilustrações, marcas ou símbolos incompatíveis com a sobriedade da advocacia;

l. utilização de meios promocionais típicos de atividade mercantil”.

Portanto, na hora de produzir seu cartão de visita digital, tenha em mente o que pode e o que não pode ser feito. Jamais adicione itens ou informações que são proibidas pela OAB (vamos evitar dores de cabeça relacionadas a isso né?).

3) O que é um cartão de visita digital?

O cartão de visita digital é um arquivo digital que pode ser disponibilizado em PDF, ou online em uma página de internet ou aplicativo, que contém todas as informações relevantes sobre o profissional ou seu negócio, podendo ser acessado por qualquer dispositivo eletrônico (computador, notebook, tablet etc.) e, principalmente, por celular (smartphone).

Nesse arquivo, é possível incluir links “clicáveis” que vão direcionar o cliente automaticamente para o seu contato no WhatsApp, telefone, e-mail, site, página eletrônica, rede social etc.  

Ou seja, o cartão de visita digital é um cartão interativo e personalizado, contendo todas as informações relativas ao advogado ou ao escritório, a um simples clique ou toque de tela. Desse modo, fica ainda mais fácil o contato profissional!

3.1) Cartão de visita digital para advogado é permitido pela OAB?

Sim, a OAB permite o uso de cartão de visita digital de advogado, desde que o conteúdo respeite as normas éticas que citei nos tópicos anteriores.

Além das informações permitidas pelo art. 44 do Código de Ética e Disciplina, os ícones interativos do arquivo podem conter:

  • Telefone fixo ou celular: ao clicar, o celular já direciona o número de discagem para a pessoa ligar;
  • WhatsApp: ao clicar, o celular “abre” automaticamente a tela para uma conversa de WhatsApp entre você a pessoa, tornando o acesso rápido e direto;
  • E-mail: ao clicar, o celular “abre” o aplicativo de e-mail com seu endereço já programado para a pessoa somente redigir a mensagem e enviar;
  • Redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn etc.) ou canal no Youtube: ao clicar, o celular já direciona a pessoa para as suas redes sociais ou canal de vídeos;
  • Site ou blog: ao clicar, o celular “abre” automaticamente a página eletrônica, atraindo mais visitantes para conhecer seu conteúdo;
  • Localização do escritório por GPS: ao clicar, o sistema de GPS do celular já abre automaticamente a rota até o seu endereço.

Mas não se esqueça de que as regras incidentes sobre o cartão virtual são as mesmas do cartão físico. Portanto, somente envie a colegas, clientes ou a pessoas que tenham manifestado o interesse em receber, ok? 

[Leia também: Como conseguir clientes na advocacia pela internet sem ofender a OAB]

4) Como fazer um cartão de visita digital

Agora que você já sabe que pode usar tranquilamente o cartão de visita digital, deve estar me perguntando: “Ale, como é que eu faço para ter um desses?”.

A boa notícia é que existem opções gratuitas que permitem que você mesmo(a) faça o cartão pelo computador ou pelo celular, através de sites ou aplicativos. É só criar uma conta (sem qualquer custo), fazer o login e deixar a criatividade rolar!

São ferramentas online com uma interface intuitiva e fácil de entender, de modo que você não precisa de grandes conhecimentos técnicos para dar conta do recado. 

Existem  três opções mais populares e que indico para vocês: Canva, Trakto e Kardshare.

Porém, se achar muito complicado ou preferir investir um pouco mais no cartão de visita digital, você pode contratar profissionais especializados nesse tipo de serviço, como publicitários, designers etc. 

Caso não encontre profissionais da área na sua cidade ou prefira a praticidade de resolver tudo online, existem várias agências digitais que fazem cartões de visitas virtuais. É só dar uma pesquisada na internet, é bem fácil de encontrar (no site da Elo7, por exemplo, já vi vários anúncios)!  

5) Dúvidas comuns sobre cartão de visita digital para advogados

5.1) Como enviar o cartão de visita digital para os clientes?

O advogado pode compartilhar o cartão através de um link da página na internet. O único problema disso é que, para você enviar e para a pessoa acessar, deve haver conexão com a internet.

Outra opção é salvar o arquivo em PDF e distribuir para seus clientes nesse formato. A vantagem é que, depois que a pessoa baixar, ela poderá ver o cartão sempre que quiser, mesmo offline (ou seja, não precisa de conexão com a internet).

Minha dica é que enviem sempre as duas versões (link e PDF) para o cliente, pois assim ele escolhe qual versão atende melhor suas necessidades! 

5.2) Posso enviar meu cartão de visita digital por WhatsApp?

Sim, você pode enviar o cartão de visita digital pelo WhatsApp, mas desde que os destinatários sejam colegas, clientes ou pessoas que os solicitem ou os autorizem previamente.

Assim como o cartão de visita físico, o cartão de visita virtual deve ser entregue apenas à destinatários certos. Jamais divulgue indistintamente esse cartão a uma coletividade de pessoas.

Portanto, se você faz parte de um grupo de advogados ou mesmo criou um grupo de clientes no WhatsApp para facilitar a comunicação e a divulgação dos seus serviços, tudo bem enviar o cartão de visita digital. 

Contudo, em se tratando de grupos aleatórios ou que não estejam ligados à sua atividade profissional específica, não compartilhe o cartão de visita digital.

5.3) Por que um advogado teria um cartão de visita digital?

Como visto, o cartão de visita digital permite construir um networking e converter clientes de uma forma bem mais prática do que a convencional.

Além disso, existem outras vantagens bem interessantes do cartão digital e que merecem ser pontuadas:

  • Gratuidade: cartões de visitas digitais podem ser produzidos e distribuídos sem qualquer custo, o que torna sua utilização bem mais democrática.
  • Viés Ecológico: a versão digital permite que seus serviços sejam divulgados sem o uso de papéis e outros materiais para a confecção de cartões. A questão ecológica não pode ser ignorada e produtos que respeitam isso são mais valorizados pelo mercado.
  • Flexibilidade: não são necessários encontros físicos, permitindo que você compartilhe com colegas, clientes atuais ou clientes em potencial de forma online, a qualquer hora e em qualquer lugar. Isso facilita a divulgação de seus serviços e aumenta a chances de celebrar contratos.
  • Compartilhamento: com certeza é mais fácil compartilhar um cartão em formato virtual do que em formato físico. Além disso, é mais difícil que o cliente perca o cartão, pois o arquivo ou o link ficará salvo no computador ou no celular.
  • Praticidade de alteração: alterações de dados, modificações de designs, adição de funcionalidades etc., podem ser feitas a qualquer momento (chega de inutilizar cartões só porque mudou de telefone ou de endereço.. rsrs).

Percebeu como ter um cartão de visita virtual é algo que só traz vantagens? Por isso tantos advogados estão cada vez mais utilizando os cartões de visita no formato digital, principalmente em tempos de isolamento social (como enfrentamos agora).

6) Conclusão

No artigo de hoje, tentei explicar um pouco mais sobre essa ferramenta simples, mas que aparentemente nem todos os colegas conhecem: o cartão de visita digital para advogado

Tenho recebido um retorno muito bom de vocês nos artigos que escrevo sobre publicidade jurídica digital e advocacia home office. Por isso, pretendo trazer outros artigos sobre o tema, para nós debatermos o assunto e desmistificarmos algumas ideias relacionadas à eles!

Sei que tudo o que é novo muitas vezes nos causa aquele medo ou um “frio na barriga” só de pensar em começar a utilizar.

No entanto, digo que o advogado de sucesso é aquele se permite inovar e acompanhar as tendências de mercado, sempre com muita responsabilidade e respeitando os parâmetros éticos definidos pela OAB! 😉

A partir do uso do cartão digital, os clientes poderão te encontrar e, por isso, você precisa estar preparado para tudo. É por isso que além do artigo, eu trouxe outra dica para você. Trata-se da Palestra GRATUITA e 100% ONLINE “Como Advogar com auxílio-doença sem medo e alcançar 50% do mercado previdenciário” do Dr. Bruno Carneiro e do Dr. Anderson De Tomasi Ribeiro. Para participar basta clicar no link e fazer sua inscrição.

palestra DPF 11 - Cartão de visita digital para advogado é permitido pela OAB?

7) Fontes

BRASIL. Lei n. 8.906, de 4 de julho de 1994. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 de julho de 1994. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8906.htm>. Acesso em: 15/07/2020.

____________. Provimento n. 94, de 5 de setembro de 2000. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 de outubro de 2000. Disponível em: < https://www.oab.org.br/leisnormas/legislacao/provimentos/94-2000>. Acesso em: 15/07/2020.

____________. Resolução n. 02, de 19 de outubro de 2015. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 de outubro de 2015. Disponível em: < https://www.oab.org.br/arquivos/resolucao-n-022015-ced-2030601765.pdf>. Acesso em: 15/07/2020.

GOGONI, Ronaldo. Como criar um cartão de visita virtual. Tecnoblog. Disponível em: <https://tecnoblog.net/281153/como-criar-um-cartao-de-visita-virtual/>. Acesso em: 15/07/2020.

NOVAES, Elisa. Marketing Jurídico – 05 motivos para os advogados utilizarem o cartão de visita digital. Jusbrasil, 2020. Disponível em: <https://elizannovaes.jusbrasil.com.br/artigos/813871702/marketing-juridico-05-motivos-para-os-advogados-utilizarem-o-cartao-de-visita-digital?ref=feed>. Acesso em: 15/07/2020.

RALLO, Rafael. Como criar um Cartão de Visita Online grátis e personalizado para baixar. Rockcontent, 2020. Disponível em: <https://comunidade.rockcontent.com/como-criar-um-cartao-de-visita-online/>. Acesso em: 15/07/2020.

STRAZZI, Alessandra. Como conseguir clientes na advocacia pela internet sem ofender a OAB. Desmistificando o direito, 2020. Disponível em: <https://www.desmistificando.com.br/manutencao-qualidade-de-segurado-periodo-de-graca/>. Acesso em: 15/07/2020.

STRAZZI, Alessandra. Advogado pode fazer propaganda no Facebook ou Instagram?. Desmistificando o direito, 2020. Disponível em: <https://www.desmistificando.com.br/advogado-pode-propaganda-facebook/>. Acesso em: 16/07/2020.

8 comentários
  1. Muito bacana! Assim que terminei de ler o artigo, li o passo a passo do RAFAEL RALLO e já fiz meu cartão de visitas digital. Muito obrigada pelas dicas sempre úteis!

  2. Parabéns pela esclarecedora e util informação Dra! Sempre acompanho seus posts e estou ingressando na era digital, afinal, acredito que estamos vivenciando outra revolução, a da era digital e precisamos estar antenados.Obrigada, abraços e saúde!

  3. PREZADA DOUTORA ALESSANDRA

    Possuo um escritorio de advocacia, como forma inovadora, adequei o com uma porta com um adesivo e o ramo da advocacia previdenciaria do qual eu me desenvolvo muito bem, na aposentadoria especial, para vigilantes, dentistas, e medicos, e enfermagens.

    Na porta de Fora coloquei o seguinte destaque, em dourado com fundo preto, QUEM CONHECE OS SEUS DIREITOS E O SEU ADVOGADO, ME PROCURE – MEU NOME E TELEFONE, sou muito critico, quanto a etar ferindo o código de etica da advocacia, e em epoca de pandemia, como podemos fazer um cartao virtual e fisico, mandei confeccionar uma mascara da pandemia, como meu nome CELSO TOMAZ – ADVOGADO PREVENDICIARISTA E DO OUTRO LADO, OS SEGUINTES DIZERES, INDEFERIMENTO DE BENEFICIO, APOSENTADORIA ESPECIAIS E EVISAO DA VIDA TODA. E como tipo uniforme uma camiseta com o adesivo da porta, em frente e verso, para distribuir junto aos meus clientes formadores de opiniao e que tenham mais visibilidade, No churrasquinho da Feira, os vigilantes, em jogo de peladas juntos a outros colegas. A Dra poderia me informar, diante da informaçao por mim repassada, estaria infringindo o codigo de etica, ou a minha mascara poderia se equiparar, a um cartao de visita, ja que so tenho meu nome ADVOCACIA CELSO TOMAZ – OAB/MG 65.531 e indeferimento de beneficio, aposentadoria especiais e revisao da vida toda. Na minha camisa de cor preta ou Branca, possuo os seguntes DISTICOS: QUEM CONHECE SEU DIREITO E SEU ADVOGADO. ME PROCURE. MEU NUMERO DE TELEFONE E MEU NOME, ABAIXO AS ATIVIDADES DEEMPENHADADAS NA ADVOCACIA PREVIDENCIARIA, QUAIS SEJAM: DIEITO PREVIDENCIAIRO, PLANEJAMENTO, CALCULOS E EVISOES, REVISAO DA VIDA TODA, APOSENTADORIA ESPECIAIS: ( VIGILANTES, FRENTISTAS, ENFERMAGENS, MEDICOS E DENTISTAS) INDEFERIMENTO DE BENEFICIO, APOSENTADORIA HIBBRIDA E LOAS.
    Ressalve se ainda que para obtençao de beneficicio para algum segurado, junto as agencias do INSS, nao precisa ser advogado, basta ter um procuraçao como representante legal que vc consegue em qualquer parte do Brasil, pois o INSS nao tem jurisdiçao. Estou infligindo o Codigo de etica da OAB, pergunta que nao quer calar ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também vai gostar