Blog de Direito

 

Prezados colegas advogados, olá! Há tempos vinha querendo atualizar este artigo e republicá-lo, pois sei que muitos advogados gostariam de iniciar um blog de direito.

 

Como muitos sabem, eu amo escrever artigos sobre Direito. Escrevo mais sobre direito previdenciário por ser minha área de especialidade, mas adoro abordar qualquer matéria, na verdade.

 

Isso me levou, no final de 2013, a começar um blog no qual eu escrevia sobre o direito para pessoas leigas, com uma linguagem simples para que todos entendessem. Chamei este blog de Adblogando.

 

Algum tempo depois, em meados de 2016, em parceria com 3 pessoas maravilhosas (o Tiago, a Ylena e o Lucas), criamos o Desmistificando o Direito, um blog voltado para profissionais do direito, principalmente advogados.

 

Atualmente, o Adblogando tem cerca de 246 mil visualizações de página por mês e o Desmistificando, 275 mil. Ou seja, tenho um pouco de experiência em criar blogs e fazê-los crescer.

 

E é isso que eu quero compartilhar com vocês neste artigo, pois considero o Marketing Jurídico Digital uma das formas mais eficazes de captação de clientes atualmente. E um blog, na minha opinião, é a principal ferramenta para este tipo de marketing.

 

Sumário

1) Blog de Direito x Ética na advocacia

2) O início: registro de domínio

3) O Blogger do Google

4) JusBrasil: seu lindo

5) SEO e gostar de escrever

6) A Grande Mudança

7) A Segunda Grande Mudança

8) Redes Sociais

9) Sete Dicas

 

1) Blog de Direito x Ética na Advocacia

 

Inicialmente, esclareço que não há problema ético algum em o advogado possuir um blog, contanto que respeite os parâmetros do Código de Ética. Vejamos este julgado do Tribunal de Ética da OAB/SP:

ARTIGOS E TEXTOS EM SITE OU BLOG DE ADVOGADO, ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA OU SOCIEDADES DE ADVOGADOS – POSSIBILIDADE – APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE ÉTICA E DO PROVIMENTO 94/2000 DO CONSELHO FEDERAL DA OAB – OPINIÃO “VIRTUAL” – IMPOSSIBILIDADE – DIVULGAÇÃO DE SERVIÇOS PELA INTERNET – LIMITES E REGRAS ÉTICAS A SEREM OBSERVADOS – IMPOSSIBILIDADE DE USO DO NOME FANTASIA – INFRAÇÕES ÉTICAS.

Não há infração ética na redação de textos técnicos, de assuntos relacionados à área de atuação do escritório ou do advogado, desde que, logicamente, se evite a redação de artigos que possam instigar pessoas a litigar, ou que contenham qualquer tipo de auto-engrandecimento, ou quaisquer outras formas de angariação de clientela. Os artigos somente podem ser fornecidos a colegas, clientes, ou pessoas que os solicitem ou os autorizem previamente, nos termos do § 3.º do artigo 29 do Código de Ética e Disciplina da OAB. Pode a internet ser admitida como novo veículo de comunicação eletrônica, mas, por isso, deve respeitar as regras e limites éticos; portanto, está sujeita ao regramento devidamente estabelecido no Código de Ética e Disciplina e no Provimento nº 94/2000 do Conselho Federal da OAB. Se o “site” ou blog sob consulta pretender a oferta de serviços com divulgação profissional, utilizando meios promocionais típicos de atividade mercantil tais como nome fantasia e ofertando serviços de aconselhamento jurídico, com evidente implicação em inculca e captação de clientela, infringirá os artigos 34, II, do EAOAB, 5º, 7º, 28, 29 e 31 “caput” do CED e o art. 4º, letras b, c e l, do Provimento 94/2000. A divulgação de sites com “opinião virtual”, considerando a divulgação indiscriminada que a Internet propicia, não há de ser permitida, mantendo-se a respeito os pronunciamentos desta casa (E-1.435, 1.471, 1.640, 1.759, 1.824, 1.847, 1.877). Precedentes: E-3661/2008, E-2.102/00 e E-3.205/05.

Proc. E-3.664/2008 – v.u., em 16/10/2008, do parecer e ementa da Rel.ª Dr.ª BEATRIZ MESQUITA DE ARRUDA CAMARGO KESTENER – Rev. Dr. BENEDITO ÉDISON TRAMA – Presidente Dr. CARLOS ROBERTO F. MATEUCCI.

 

Ou seja, os artigos publicados no blog devem ser informativos, e nunca uma forma de engrandecimento do advogado ou algo que instigue as pessoas a litigar. Você pode, por exemplo, explicar que existe uma tese para revisão de aposentadoria, mas não pode dizer algo como “Procure nosso escritório hoje mesmo para conseguir sua revisão! ”

Dito isso, passemos ao objetivo deste artigo: contar um pouco de como eu comecei e fiz crescer meu blog.

 

2) O início: registro de domínio

 

Eu comecei a pensar em fazer um blog mais ou menos na metade do ano de 2.013. Visitei o site Registro.br e registrei o domínio http://alessandrastrazzi.adv.br/ . O Registro.br é o departamento do NIC.br responsável pelas atividades de registro e manutenção dos nomes de domínios que usam o .br (“ponto br”).

 

Você pode registrar um domínio em outros sites que oferecem este serviço, mas eu preferi registrar direto “na fonte”.

 

Registrar um domínio é baratinho: apenas R$ 40,00 por ANO. E é muito mais profissional do que usar domínios gratuitos, como o “blogspot.com.br” ou “wordpress.com”.

 

3) O Blogger do Google

 

Após isso, fiquei “enrolando”, sem saber o que fazer, até dezembro de 2.013. Neste mês eu comecei a fazer um blog no “blogger” do Google. Esta ferramenta é bem fácil de usar e te dá a opção de usar o seu próprio domínio, além de ser gratuita.

 

Foi bem divertido fazer um blog no blogger e eu consegui montar um site até que bem bonitinho, usando a ferramenta do blogger e imagens gratuitas que eu achava na internet.

 

[Obs.: Apesar de ter gostado de usar o blogger, eu não recomendo que você comece a utilizá-lo. Mais para frente neste artigo eu explico o motivo.]

 

Então, no final de dezembro de 2.013 eu publiquei o meu primeiro artigo. Mas os poucos leitores que eu tinha eram apenas os meus amigos que chegavam ao meu blog através dos meus compartilhamentos no Facebook.

 

Ah, como era difícil fazer o Google colocar algum texto meu nas primeiras páginas de busca! Hoje em dia, tenho vários artigos meus na primeira colocação do Google e recebo cerca de 108.970 leitores por mês direto das buscas “orgânicas”.

 

[Obs.: Busca orgânica significa os resultados naturais, ou seja, “não pagos”, de um mecanismo de busca, como Google, Bing ou Yahoo! (fonte)]

 

4) JusBrasil: seu lindo

 

Após isso, eu janeiro de 2.014 eu comecei a publicar meus artigos também no JusBrasil. E a coisa mudou bastante, passei a ter muitos mais leitores! O JusBrasil me proporcionou (e me proporciona até hoje) muitos leitores, pois este site / rede social jurídica é gigante e muito respeitado!

 

 

Comecei a colocar, nos artigos publicados no JusBrasil, links para o meu blog, chamando os leitores para conhecê-lo e isso funcionou muito bem.

 

5) SEO e gostar de escrever

 

E até mais ou menos a metade de 2.014 foi assim: eu simplesmente escrevia sem qualquer técnica de SEO (Search Engine Optimization), publicava no meu blog e, depois, no JusBrasil e fui crescendo, bem devagar.

 

[Obs.: Search Engine Optimization (SEO) é um conjunto de técnicas, métodos e/ou estudos que visam melhorar o posicionamento de suas páginas no mecanismo de busca, ou seja, quando um usuário digita no mecanismo de busca uma palavra-chave, o objetivo do SEO é fazer com que uma (ou várias) das páginas do seu website, apareça entre os primeiros resultados da busca orgânica (fonte).]

 

Apesar de não saber nenhuma técnica, eu sempre gostei MUITO de escrever e informar as pessoas. Isso transparece nos meus textos e as pessoas percebem.

 

Dessa forma, mesmo que você não tenha técnica nenhuma, se você gostar de escrever e tiver o objetivo de realmente ajudar as pessoas que leem o seu artigo, suas chances de sucesso são muito grandes.

 

6) A Grande Mudança

 

Continuando… Em meados de 2.014 eu fiz um curso online que ensinava, entre outras coisas, como montar um blog de sucesso.

 

Com este curso aprendi várias coisas, dentre as quais: algumas técnicas de SEO, como contratar uma hospedagem, como trabalhar com o WordPress.org (que é uma plataforma de blogs muito melhor que o blogger), como mudar totalmente a “cara” do blog (layout) mesmo sem saber programar nada e como usar o Google Analytics.

 

[Obs.: O Google Analytics é um serviço grátis e fantástico do Google, que permite a você monitorar em detalhes todas as visitas que você recebe em seu blog ou site. É possível saber quantas pessoas visitam seu blog, de que site elas vieram, que artigos acessaram, em que parte do mundo estão e muito mais (fonte).

É ESSENCIAL usar o Google Analytics. É só por causa dele que eu sei, por exemplo, que o Desmistificando neste último mês teve 275 mil visualizações de página, que a maioria das pessoas que lêem o blog é de São Paulo e que 33,41% das pessoas que visitaram o blog no último mês têm entre 25 e 34 anos de idade.]

 

Este foi um momento crítico para o meu blog. Eu mudei a minha hospedagem gratuita do Google para uma hospedagem paga (nada muito caro, cerca de R$ 20,00 por mês) e também mudei a plataforma do blogger para o WordPress.org (também é gratuito).

 

Se eu puder dar uma só dica para você começar o seu blog hoje seria: use o wordpress! Não o wordpress.com (este eu nunca usei, mas dizem que é pior que o blogger), mas o wordpress.org. Não vou entrar em detalhes ou este artigo vai ficar imenso, mas digo que o WordPress torna muito mais fácil “profissionalizar” um blog.

 

Apesar de ser possível migrar o seu blog do blogger para outra hospedagem, eu não recomendo isso. Deu MUITO trabalho e até hoje eu tenho que ficar arrumando os links quebrados que foram gerados com esta mudança! Se estiver começando, aprenda com meus erros e comece direito! Hehe! Fica a dica!

 

Ah, nesta época e eu também contratei uma designer que fez um logo lindo para o Adblogando. Valeu super a pena o investimento, porque um logo bonito com cores bem trabalhadas faz toda a diferença! O seu blog precisa ser bonito também!

 

Isso porque segundo pesquisas realizadas em 2014 por empresas especializadas em tráfego online, um internauta leva apenas 8 segundos para decidir se continua navegando no seu site ou se fecha a página e parte para a página do concorrente (fonte).

 

7) A Segunda Grande Mudança

 

No final de 2015, eu e mais três amigos iniciamos um novo projeto: levar conhecimento jurídico de forma acessível de fácil entendimento para operadores do Direito, principalmente advogados.

 

A ideia era fazer algo diferente, que fugisse do padrão de comunicação padrão do Direito.

 

E assim surgiu o “Desmistificando o Direito” – um projeto grande, que não se limita só ao novo blog que criamos. Também inclui vídeos, comunicação por diversas redes socais e cursos digitais em formato diferenciado.

 

A partir desse momento eu pude passar a me dedicar exclusivamente à produção de conteúdo e é por isso que hoje eu publico no mínimo um artigo por semana!

 

8) Redes Sociais

 

É muito importante também você compartilhar os seus artigos nas redes sociais, como Facebook, Twitter e Google+. Se você não divulga, as pessoas não ficam sabendo que seu blog existe, certo?

 

Atualmente, eu compartilho os meus artigos nas minhas páginas do Facebook (essa e essa), no grupo do Desmistificando no Facebook, no Twitter, no Linkedin e no Instagram. Fique à vontade para me seguir! 😄

 

 

9) Sete Dicas

 

Resumidamente, é esta a história de como eu comecei e fiz crescer os blogs “Adblogando” e “Desmistificando o Direito”. Posso dar a você, que já tem ou pretende começar um blog, as seguintes sete dicas:

 

  1. Registre um domínio próprio;
  2. Contrate uma hospedagem;
  3. Monte o seu blog com o WordPress.org e o faça ficar bonito;
  4. Estude técnicas de SEO;
  5. Use o Google Analytics;
  6. Compartilhe seus artigos nas redes sociais;
  7. Escreva com amor 💕.
  8. DICA BÔNUS: Gostou do tema e quer aprofundar-se sobre o marketing jurídico digital? Então assista a a palestra que ministrarei no Primeiro CONDIPREV – Congresso Online de Direito Previdenciário.

 

A inscrição é gratuita e o evento é 100% online. Clique aqui para inscrever-se e garantir sua vaga!

 

Desejo a você boa sorte com o seu projeto! E, por favor, não deixe de compartilhar este artigo e de deixar um comentário!

Compartilhe:

Comentários

Share This